"Stress" a nova epidemia!

Vivemos em um tempo de desafios. De informações, demandas e prazos a serem cumpridos, apelos publicitários, formas, cores, etc. Excessos que muitas das vezes camuflam faltas com as quais tememos nos confrontar. No mercado de trabalho, os constantes desafios e as rápidas mudanças contribuem para o surgimento de “epidemias de stress negativo”.

Com o passar do tempo a sobrecarga pode se converter em doenças graves. O maior problema não é o excesso ao qual corpo e mente são submetidos, mas a forma como lidamos com questões afetivas relacionadas ao dia a dia, bem como a constância desses estímulos, o que impede que haja tempo suficiente para recuperação orgânica e psíquica.

O desafio hoje, portanto, é lidar melhor com a infinidade de agentes causadores de stress que nos aprisionam em suas armadilhas o tempo todo.

O stress pode nos fazer adoecer, mas nem todo o stress é igual. Um certo nível básico, chamado stress positivo, é até desejável, porque nos mantém física e mentalmente prontos para agir bem.

Stress tem tratamento. A melhor forma para se prevenir é reconhecer a existência do problema, entender as razões e identificar seus limites de resistência. O ideal é detectar o problema e aprender a lidar com os conflitos sem somatizar.

Carlos Alberto Pastore

Carlos Alberto Pastore

Livre docente do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário