Depressão pós parto

A Organização Mundial da Saúde mostrou que 10% das gestantes e 13% das mulheres no puerpério têm algum transtorno mental, sendo a depressão pós parto a mais recorrente (20%).

Os sintomas aparecem nos primeiros 30 dias do puerpério, embora isso possa acontecer no decorrer de um ano.

Estas alterações mentais são desencadeadas por vários fatores: genéticos, psicológicos, biológicos e até ambientais. As dificuldades sócio econômicas, culturais e de suporte familiar podem levar à depressão pós parto.

Não há dúvida que as mulheres mais sensíveis às oscilações hormonais são as mais vulneráveis. Esta predisposição traz no pós parto dificuldades com as oscilações hormonais, trazendo as dificuldades emocionais.

Os sintomas surgem como: dificuldade para amamentar, conflitos na forma de cuidados com o bebê (físicos e psíquicos), dificuldades nas relações com familiares (não confundir com a chamada tristeza materna – baby blues – 80%).

O tratamento é fundamental para não interferir no vínculo mãe/bebê!

Carlos Alberto Pastore

Carlos Alberto Pastore

Livre docente do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário