A ameaça do álcool para os jovens

Não há dúvidas que a adolescência ficou mais prolongada pelas mudanças sociais  e demográficas (duram até os 24 anos).

A transição entre adolescência e vida adulta promove um estado de instabilidade que aumenta o consumo de álcool.

Os nossos jovens dormem pouco (45%), não fazem exercícios (63%), não se alimentam  (40%) e usam tela excessivamente (76%). Tudo isto contribui para o aumento da obesidade, com 1.4 milhão com pressão arterial aumentada e 750 mil com diabetes.

Os jovens consomem bebidas abusivamente (32%) e relatam não saber o que fizeram quando bêbados. O rito de beber começa cedo, nas festas , na sociedade, até familiar, etc.

O álcool faz mal à saúde física e mental. O álcool é um depressor do sistema nervoso, traz ansiedade e depressão (mais violência e suicídios) .

Não incentivar a bebida é muito importante! O álcool não faz bem para nada.

Carlos Alberto Pastore

Carlos Alberto Pastore

Livre docente do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário