Voltar

O bom humor, cada vez mais saudável e relaxante

A qualidade de vida depende de vários fatores:

  • atividade física;

  • alimentação adequada;

  • relações interpessoais seguras e interessantes;

  • atividade profissional saudável, entre outras coisas.

Mas um fator tem sido considerado muito importante: manter o bom humor nas nossas atividades diárias. A literatura sobre o assunto não é extensa, mas as respostas nos ambientes de trabalho são cada vez melhores. Observa-se que onde há bom humor as pessoas ficam menos críticas, não há necessidade de exercício de poder e fofocas e a competição não é exagerada.

O humor engloba muito dos atributos do hemisfério direito (intuitivo, criativo e emocional) do cérebro, que tem a capacidade de avaliar o contexto, ter visão de conjunto e combinar diferentes perspectivas num posicionamento novo.

Durante a nossa formação na escola, quando rígida e o trabalho nas instituições competitivas, nosso humor vai se retraindo e nos deixando cada vez mais formais.

As observações médicas relatam que o humor e o riso têm um forte efeito de relaxamento, liberando hormônios cerebrais que nos deixam mais confortáveis. Esse relaxamento, essa forma de não levar tudo a sério, nos protege das doenças cardiovasculares tão presentes nos indivíduos rígidos, reprimidos, e incapazes de um sorriso. Não esqueçam que 5 minutos de boas risadas equivalem a 30 minutos de ioga ou tai chi chuan e nos deixa mais relaxados e descontraídos.

Vamos lá, faça o exercício do bom humor e lembre-se de que é uma das mais importantes características dos profissionais com elevada inteligência emocional.