Voltar

A alimentação como medicação

Hipócrates, considerado o pai da Medicina, já dizia na Grécia (400 anos A.C.) que deveríamos fazer do alimento o nosso medicamento. O filósofo grego já definia uma proposta que hoje a ciência vem desenvolvendo, isto é, as substâncias chamadas fitoquímicas e as alimentações funcionais: alimentos que possuem substâncias capazes de prevenir doenças e ajudar o organismo. Estamos vivendo um novo momento no qual a alimentação pode reduzir o risco de doenças, tratá-las e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos.

A ação antioxidante dos alimentos vem servindo para proteger e evitar o envelhecimento de nossas células. Dentre os já conhecidos, o licopeno do tomate e a framboesa, com maior poder antioxidante e com altas taxas de fitoquímicos. Os chás são muito eficazes na proteção do coração, principalmente o chá preto e verde. Não esqueçam que alguns alimentos são muito agressivos, como a carne vermelha, que aumenta o risco de câncer.

Tomar cuidado com os alimentos industrializados pois as propriedades dos fitoquímicos são afetadas e em geral eles possuem muita gordura e muito sal. Dê preferência aos alimentos frescos, recém preparados e que possam manter sua qualidades e propriedades. A proposta para o futuro é buscar nos alimentos, alguns talvez geneticamente modificados, as necessidades básicas do organismo, evitando o exagero de medicamentos.