Voltar

Quando as emoções são boas para o coração

A orientação de saúde de hoje é sobre um tema que há algum tempo poderia ser visto como uma hipótese mas que agora é uma comprovação científica! Quanto melhor for sua vida afetiva, isto é, se você tem uma relação amorosa firme e segura, apoio emocional, boas relações sociais, terá menos doenças, principalmente do coração. Não há mais duvidas de que são os problemas psicológicos os que mais mexem com nossa saúde.

Um dos exemplos interessantes é um estudo publicado na revista Annal of Internal Medicine apontando que os idosos que tiveram um ataque cardíaco mas tiveram apoio emocional da família sobreviveram duas vezes mais que os que não tiveram. Outro exemplo interessante também publicado numa revista importante, o jornal da American Medical Association, mostrou que a depressão aumenta em cinco vezes as chances de morte após um infarto do miocárdio.

Não se trata de deixar de controlar o colesterol, verificar a pressão, o hábito de fumar, a atividade física, mas sim acrescentar um novo e decisivo fator aos que influenciam as doenças do coração: uma boa vida afetiva. Os conflitos profissionais, familiares etc. não deixam baixar a pressão arterial, o colesterol ruim, e não deixam parar de fumar e comer.

Assim, procure o equilíbrio psicológico, pois este vai ajudar a tratar as doenças do coração.