Voltar

As doenças respiratórias na temporada outono-inverno

Para nós, paulistanos, a entrada do outono-inverno aumenta em 50% as doenças das vias respiratórias. Não adianta correr, pois não vamos escapar da maior poluição, do ar mais seco, dos lugares fechados, tudo causado pelo frio. Todos nós vamos tossir, ver o nariz escorrendo, sentir o mal estar das dores no corpo, febre, etc. Podemos ir de uma gripe, resfriado, até as crises asmáticas e pneumonias.

Várias são as complicações, como faringite, amigdalite, sinusite, otite e a bronquite. As pessoas mais atingidas são os idosos e as crianças, pois ambos apresentam baixa imunidade. As crianças porque o sistema imunológico de defesa só estará formado aos 10 anos; e os idosos porque a imunidade diminui após os 60 anos.

Desta forma, nesta época a grande “dica” é prevenção. Para as crianças, evitando locais fechados com muita poluição, cigarro, etc. Boa limpeza do quarto, das roupas, alimentação adequada. Já para os idosos, é importante a vacina com antecedência (pelo menos 30 dias antes do inverno), cuidados com as mudanças de temperatura, hidratação e exercícios físicos, principalmente fisioterapia respiratória. Observe se a gripe fica arrastada e não melhora em 5 a 7 dias, pois complicações vêm aí!

Sinusites, otites, bronquites, pneumonias podem surgir após um quadro gripal não tratado e até levar a uma internação hospitalar prolongada. Procure um especialista para uma orientação adequada.