Voltar

Trabalhar muito aumenta risco de arritmia

Já há algum tempo, estudos demonstram que trabalhar muitas horas por dia é um fator de risco para doenças cardiovasculares. Recentemente, um estudo acompanhou por 10 anos quase 90 mil pessoas que nunca haviam tido arritmias: homens e mulheres ingleses, suecos e finlandeses.

Ao final do estudo, os pesquisadores elencaram uma série de fatores de risco para doenças cardiovasculares, principalmente a arritmia de tipo fibrilação arterial. Entres eles estavam doenças já conhecidas por prejudicarem o fucionamento do coração, como o diabetes, a pressão alta e a depressão, mas também condições de vida, como o tempo de trabalho.

A conclusão sobre este último fator foi assustadora: os indivíduos que trabalhavam muitas horas por dia foram definidos como um grupo de alto risco. Isso porque quem trabalhava mais de 55 horas por semana tinha 40% mais chances de desenvolver uma arritmia do que quem trabalhava uma média de 40 horas semanais.