Voltar

Testosterona: conheça os prós e os contras da reposição

 

            Os níveis de testosterona em nossos corpos caem com a idade, mas a velocidade desta queda varia de pessoa para pessoa. Por isso, a partir de uma certa idade, alguns homens –  e mesmo mulheres – desejam fazer sua reposição. Apesar de ser considerada um hormônio masculino, a testosterona é produzida tanto por homens como por mulheres, mas, no caso destas últimas, em níveis bem mais baixos. A reposição por meio de comprimidos ou em forma injetável são consideradas as mais eficaces e agressivas. Mas a forma gel, mais amena e que não necessita de receita médica, vem ganhando espaço no mercado.

            O efeito anabolizante da testosterona traria melhora da disposição, mais massa muscular, maior definição de músculos e aumento da libido. Assim, em um primeiro momento, ela pode parecer um ótimo remédio. No entanto, é preciso tomar cuidado, pois alguns de seus efeitos colaterais podem ser graves: aumento do risco de infarto do miocárdio e derrame (AVC), de câncer de próstata, além de outros efeitos menos perigosos como irritabilidade, acne, aumento das mamas e queda de cabelo.

            Por essas razões, os especialistas desaconselham o uso da testosterona em pessoas saudáveis. Assim, aqueles que sofrem com a queda do hormônio devem procurar orientação médica e pesar os prós e os contras. Perda de peso e aumento da atividade física são muitas vezes suficientes para normalizar os níveis de testosterona.