Voltar

Doença do tipo 2 pode acentuar declínio das faculdades mentais

Os portadores de diabetes do tipo 2, o tipo mais comum, têm mais chances de sofrer de degenerações cerebrais do que os não doentes.

A conclusão é de um grupo de pesquisadores que acompanhou, durante dois anos, cerca de 600 pacientes de idade média de 65 anos sob tratamento para o diabetes do tipo 2.

Os pacientes foram submetidos à ressonância magnética, exames de sangue e testes sobre as habilidades cerebrais cognitivas. O resultado foi alarmante: eles apresentaram perda de massa cinzenta, diminuição do fluxo sanguíneo cerebral e baixas pontuações nos testes de cognição.

As repercussões cerebrais do diabetes se explicam em grande parte por uma das complicações dessa doença que é a compressão dos vasos sanguíneos. Tratamento adequado para controlar o nível de glicose no sangue, alimentação saudável e exercícios continuam sendo as melhores formas de controlar a doença e se manter saudável.

 

Segundo a Sociedade brasileira de diabetes, “o Tipo 2 aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controla a taxa de glicemia. Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o Tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos, mas crianças também podem apresentar”.

Para mais informações: www.diabetes.org.br