Voltar

Vitaminas E e C não previnem eventos cardiovasculares importantes

Um estudo realizado em 15.000 médicos americanos, desde 1997, com idades acima de 50 anos, mostrou informações importantes sobre as vitaminas E e C. O objetivo do estudo era confirmar que as propriedades destas vitaminas antioxidantes poderiam reduzir os riscos dos eventos cardiovasculares como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e morte por doença do coração.

Durante oito anos de seguimento foram avaliados quantos casos de eventos cardiovasculares aconteceram no grupo dos que tomavam vitamina E, dos que tomavam vitamina C e no grupo controle, que tomava placebo (drogas sem atividade). O resultado mostrou que não houve diferença entre os grupos, evidenciando que a utilização dessas vitaminas como preventivas dos eventos cardiovasculares não é adequada. Elas também não tiveram qualquer efeito sobre a mortalidade global, ficando claro que para este fim não há indicação para o uso dessas duas vitaminas.

A prevenção das doenças do coração depende de mudanças de hábitos alimentares, de muito exercício e de medicação, quando a genética não for favorável.