Voltar

A maioria das mortes súbitas são de origem cardíaca

Na morte súbita cardíaca observam-se por definição as seguintes características:

1. Perda abrupta da consciência até uma hora após os sintomas agudos.

2. Presença ou não de doença cardíaca prévia.

3. Tempo e modo inesperados.

A origem é, em 80% das mortes cardíacas, a doença ateroesclerótica das artérias coronárias (aquelas que irrigam o próprio coração). Considerando os aspectos médicos, científicos, legais e sociais para uma definição mais abrangente da morte súbita cardíaca podemos considerar quatro fases: pródromos (sintomas prévios), início do evento terminal, parada cardíaca e morte biológica.

A maioria destas mortes acontece por arritmias cardíacas, isto é, alterações dos batimentos cardíacos tanto para mais (taquicardias, com alta frequência – 200 bat/min) ou para menos (bradicardias, com batimentos reduzidos – 30 bat/min). A presença das placas de gordura nas artérias leva à formação de coágulos, que entopem as artérias. Nestas, quando se rompem as referidas placas moles, há uma obstrução aguda. Na metade dos casos isso pode levar a uma parada cardíaca sem aviso prévio; em 30% dos casos provocam um infarto do miocárdio, que pode ser atendido prontamente, e 20% dos casos apresentam dor no peito, a chamada angina.

Não há dúvida que a doença das coronárias tem um grande componente hereditário, porém também é consequente de um estilo de vida inadequado.

  • Vida sedentária, pressão alta, colesterol ruim elevado, obesidade, cigarro e principalmente vida estressante são gatilhos importantes da doença, muito mais grave em jovens, em quem as repercussões são por vezes fatais.