Voltar

Estresse e Copa do Mundo

Estudos europeus avaliam a incidência de infarto do miocárdio e de acidente vascular cerebral em tempos de Copa do Mundo, relacionando o estresse emocional como um dos principais fatores de risco.

Na Copa de 2006, na Alemanha, a incidência de infarto agudo do miocárdio, nos dias de jogos dos donos da casa, sofreu aumento de 3,26 vezes. Das vítimas, 71,5% eram homens com infarto no período da Copa, comparado a 56,7% de homens com infarto no período controle. Não há dúvida que nos jogos haja um exagero da emoção, associado aos exageros da bebida, comida, etc. Desta forma, temos aumento na pressão arterial e na frequência cardíaca, favorecendo os eventos cardiológicos.

Nos dias de Copa do Mundo no Brasil, o número de internações de pacientes cardíacos cresce quase 10%, e quando o jogo é do Brasil, cresce 16%.

A conclusão desse estudo em particular é que assistir a uma partida importante de futebol mais do que dobra a probabilidade de um evento cardiovascular agudo. Os riscos ainda são maiores entre os indivíduos cardiopatas do sexo masculino.

Caros, agora imaginem as quartas, semi e finais, no Brasil. Para estas, medidas preventivas são indispensáveis.