Voltar

Morte súbita pode ser evitada, mas custa caro

O implante dos desfibriladores no coração através de uma pequena cirurgia pode prevenir a morte súbita por arritmia cardíaca em uma boa parte dos eventos. Este implante ficou mais conhecido quando o Vice-Presidente dos Estados Unidos recebeu este aparelho, capaz de dar um choque no coração quando este começa a bater com muita rapidez (±200 bat/min.), abortando a arritmia.

Hoje quase 3 milhões de norte-americanos já têm indicação de usar o desfibrilador, que comparado ao tratamento com medicação apresentou-se 30% mais eficiente. A importância da utilização destes equipamentos está na possibilidade de salvar as pessoas que apresentam um tipo de arritmia grave chamada fibrilação ventricular, a qual não deixa o coração manter sua capacidade de bombear sangue para todo o corpo.

A dificuldade da utilização deste equipamento, já muito utilizado aqui no Brasil, é o seu alto custo, que chega a 25.000 dólares, limitando desta forma o seu uso para poucos casos. Os aparelhos são verdadeiros microcomputadores capazes de detectar as arritmias e tratá-las, funcionando como um verdadeiro marca-passo cardíaco. O desfibrilador implantável tem sido definido como solução moderna e fundamental para os casos de arritmias fatais, e talvez com o tempo seu custo possa ser reduzido.