Voltar

A ocitocina, hormônio da autoconfiança, afeto e relaxamento

Produzida no hipotálamo, abaixo da hipófise, no cérebro, sempre foi conhecida como o hormônio que estimulava o útero e as mamas, ajudando também no trabalho de parto. O que se sabe hoje é que além disto ela estimula áreas cerebrais relacionadas à autoconfiança, relaxamento e às relações afetivas.

Não há dúvida que o estresse inibe a liberação deste hormônio, mas também o nível de testosterona no sangue afeta a ação da ocitocina. A observação feita é de que, quanto mais testosterona no sangue, menor é a liberação da ocitocina. Essa é a interpretação biológica da expressão “o poder subiu à cabeça”: a subida exagerada da testosterona quando o indivíduo conquista poder em qualquer área. As mulheres liberam 25% a mais de ocitocina que os homens e são melhores nas relações interpessoais.

O mais interessante é que o que mais amplia a produção de ocitocina é o contato com as pessoas. Situações como jantar junto, ir a um cinema, dançar são estimulantes da produção da ocitocina.

Desta forma, uma alternativa para se sentir bem é interagir com as pessoas, especialmente as de que mais gostamos.