Voltar

A poluição: mais uma inimiga para o coração

As relações entre a má qualidade do ar atmosférico e as doenças pulmonares já são bem conhecidas. A novidade ruim é que a poluição tem trazido maior número de doenças do coração, pois agride a parede das nossas artérias. As partículas liberadas pela combustão dos motores dos automóveis são muito agressivas e penetram nos pulmões, atingindo os brônquios e causando a bronquite crônica, asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

O processo inflamatório dos brônquios facilita a infecção, pois dificulta o trabalho de eliminação das impurezas e bactérias dos brônquios. O mesmo processo inflamatório pode atingir o revestimento das nossas artérias que carregam o nosso sangue e principalmente nas artérias coronárias que irrigam o próprio coração. Desta forma, o processo inflamatório facilita a deposição de gordura nas artérias (aterosclerose), que vai dificultando a passagem de sangue, podendo levar ao infarto do miocárdio.

Os eventos cardiovasculares como a morte súbita e o derrame também estão mais presentes com a maior poluição atmosférica. Não há dúvida de que os fumantes, já sobrecarregados pela poluição do cigarro, são os maiores candidatos, porém os idosos e os doentes do coração e pulmão também são muito sensíveis à poluição.

Colabore com o planeta, evite poluir mais a cidade.