Voltar

Fadiga cerebral e as mudanças do ambiente

Os investigadores das atividades cerebrais já descreveram que o cérebro tem capacidade limitada para manter a atenção, o foco numa atividade específica e a tranquilidade. A vida urbana, com muito barulho, correria, trânsito e insegurança promove uma verdadeira fadiga cerebral. Esta situação deixa o indivíduo esquecido, incapaz de se concentrar e muito distraído. O que um estudo escocês mostrou é que a mudança de ambiente, saindo das cidades para os parques, para as praias, para os chamados ambientes naturais, trazem uma forma de contemplação que alivia a tensão cerebral. Seria como se as mudanças dos estímulos externos alternassem os circuitos cerebrais, facilitando a recuperação dos recursos sobrecarregados de atenção, reduzindo a fadiga mental.

Não há dúvida que as pessoas que moram próximas aos parques e áreas verdes têm um nível menor de adrenalina e cortisol (hormônios do stress) no sangue, comparadas a indivíduos que moram nos grandes centros, longe de áreas verdes. Dessa forma ficou claro que as pessoas se acalmam quando estão ao ar livre, nos parques. Não deixe de buscar as praias e os parques para dar uma folguinha ao cérebro fatigado.