Voltar

Exposição à luz e a depressão

As descrições dos trabalhos que relacionam a baixa exposição à luz nos indivíduos e a maior presença da depressão são antigas. Os países nórdicos, com dias muito curtos e muito pouca presença de luz solar mostram uma prevalência maior de depressão e suicídios. Não há dúvida que, de todos os benefícios da exposição ao sol nos horários adequados, o estímulo da luz no sistema límbico do cérebro (responsável pelas emoções, memória e aprendizado) é um dos mais importantes.

As alterações do sono e mudanças no ciclo de 24h já foram relacionadas com o aparecimento da depressão. Novos trabalhos têm demonstrado que exposição irregular à luz durante a noite pode alterar funções cerebrais e levar à depressão. Esta doença, que tem aumentado sua prevalência no mundo, também está ligada às dificuldades emocionais crônicas, principalmente na área afetiva. De qualquer forma, a atividade física com exposição ao sol traz benefícios corporais e também cerebrais, prevenindo a depressão.