Voltar

Obesidade: drogas novas ou novas ações de drogas antigas?

A preocupação com a obesidade é mundial, mas os EUA e agora o Brasil estão com poucas opções para tratar os obesos. Os medicamentos para emagrecer derivados das anfetaminas foram tirados do mercado. No Brasil restaram poucas opções como a sibutramina e o orlistat.
Os norte-americanos, através do FDA, aprovaram, depois de 13 anos, uma nova droga para emagrecer. Trata-se de uma associação de medicamentos conhecidos, como a fentermina (derivado da anfetamina) e o topiramato, anticonvulsivante conhecido por tratar epilepsias e enxaquecas. A droga é indicada para indivíduos com sobrepeso (IMC maior que 27) e que tenham pressão alta, diabetes ou colesterol alto. O estudo mostrou que após um ano os pacientes perderam 5% do peso corporal, muito próximo das taxas obtidas pelo orlistat e abaixo da sibutramina.
Os efeitos colaterais não são tão graves, mas a droga não pode ser usada por grávidas nem por pessoas com glaucoma ou hipertireoidismo. De qualquer forma, não há nada tão eficaz quanto comer menos e fazer exercícios.