Voltar

Vida sedentária é tão agressiva quanto fumar

Uma publicação da conhecida revista inglesa Lancet mostrou uma série de estudos que comprovam que o sedentarismo é responsável anualmente por mais de cinco milhões de mortes no mundo. A falta de exercício deve ser considerada uma pandemia (uma epidemia que afeta vários países), sendo tão grave que diminui a expectativa de vida tanto quanto o cigarro e a obesidade. No Brasil, quase 90% da população adulta não pratica atividade física e o sedentarismo é responsável por 13% das mortes por diabetes, câncer e infarto do miocárdio.
O que vem sendo observado é que as pessoas se exercitam cada vez menos e as campanhas das sociedades médicas e do governo funcionam pouco. Não há dúvida que as pessoas obesas se exercitam muito pouco e há uma predisposição genética ao sedentarismo. De qualquer forma o benefício dos exercícios é enorme: combate a diabetes, a obesidade e a pressão alta, protege contra a doença de Parkinson, as demências como o Alzheimer, e o câncer. Ainda melhora a circulação sanguínea em geral e oxigena o cérebro e o corpo.
Não há portanto nenhum motivo para não se fazer exercício, só mesmo aquela preguiça natural dos sedentários.