Voltar

Doentes do coração: cuidados com a natação

A natação é um dos esportes mais completos e menos agressivos que podemos praticar, porém os especialistas em reabilitação da Sociedade Europeia de Cardiologia alertam os doentes do coração para alguns cuidados.
Os pacientes com insuficiência cardíaca e função ventricular comprometida não devem ficar imersos em água fria durante muito tempo. A imersão completa converge uma importante quantidade de sangue para a circulação do tórax, com um aumento da pressão venosa central e volume de sangue no coração. Esta situação, num indivíduo que já tenha doença do coração, pode levar a descompensações e complicações graves.
A utilização de banhos com temperaturas neutras, sem grandes períodos de imersão, pode trazer benefícios fisiológicos para os pacientes com doenças cardíacas importantes. Estes pacientes não devem participar de competições ou grandes períodos de natação sem supervisão, pois podem apresentar quadros cardíacos graves. Já existem novos trabalhos desrecomendando atividades dentro de piscinas para pacientes com disfunções tanto sistólicas como diastólicas, isto é, com funcionamento da bomba já comprometido. Procure o seu cardiologista para uma avaliação antes de iniciar atividades físicas intensas.