Voltar

Estimulantes cerebrais usados novamente pelos jovens

Como no passado, o uso de drogas estimulantes da atividade cerebral volta a ser modismo entre os jovens americanos. Com a desculpa de que a medicação funciona para acalmar os indivíduos hiperativos com transtorno de déficit de atenção, os jovens simulam a necessidade para conseguir as receitas. As substâncias utilizadas são as anfetaminas e os metilfenidatos (Ritalina), que são vendidos, embora com receitas, em quantidades exageradas. Os jovens têm usado as drogas para estudar, pois elas permitem ficar mais tempo acordados, deixando-os mais concentrados e estimulados pela liberação da dopamina cerebral.
O problema é que as anfetaminas causam efeitos colaterais importantes, como taquicardia, pressão alta e até convulsões. As medicações deste tipo só são liberadas com receituário e o acompanhamento médico se faz necessário, principalmente nos casos reais de déficit de atenção.
Os especialistas não aconselham a utilização das drogas para indivíduos normais, pois a estimulação pode trazer dependência e a necessidade de dosagens mais fortes. De qualquer forma a volta das drogas estimulantes talvez seja reflexo da exigência de desempenho cada vez maior dos estudantes.