Voltar

Explicando a Angina Pectoris

Angina, angina pectoris ou angina do peito é uma dor localizada no centro do peito. As pessoas a descrevem como um peso, um aperto, uma pressão ou uma queimação, geralmente atrás do osso externo. Algumas vezes ela pode estender-se para os braços, o pescoço, o queixo ou as costas. A dor aparece quando a circulação de sangue para uma parte do coração é insuficiente, não recebendo oxigênio e nutrientes em quantidades necessárias. Aparece frequentemente durante exercícios ou stress emocional, pois nessas situações a frequência cardíaca (número de batidas do coração por minuto) e a pressão arterial aumentam.
O nosso organismo pode encontrar uma maneira de aumentar o suprimento de sangue para o músculo cardíaco quando uma artéria coronária está parcialmente obstruída. Outras artérias vizinhas podem se expandir e alguns ramos finos podem se alargar e levar mais sangue para a área afetada; é a chamada circulação colateral. A aterosclerose, causada por depósito de gorduras, como o colesterol, nas artérias é a causa dos entupimentos das coronárias que acontecem na angina e no infarto. Esse processo começa na infância e muitos de nós o temos em algum grau por volta dos 40 anos.
Algumas vezes, apesar do diagnóstico de angina, o eletrocardiograma é normal, por isso o médico pode solicitar um teste ergométrico (teste de esforço). Se o teste for positivo para doença da coronária o médico indicará um cateterismo cardíaco (ou cinecoronariografia). É realizado através da introdução de um catéter, pelo braço ou pela perna, até o coração. Ele irá mostrar se suas artérias estão entupidas e qual a gravidade da obstrução. A decisão do tratamento dependerá dos resultados, podendo ser realizada uma angioplastia (desobstrução através de um balão, pelo cateterismo), uma revascularização do miocárdio (pontes de safena) ou tratamento clínico.