Voltar

Quais os fatores de risco mais agressivos ao coração?

As doenças cardiovasculares como o infarto do miocárdio e o derrame (AVC) são as principais causas de mortalidade no mundo atual e ocorre principalmente entre adultos a partir dos 40 anos.

Diversos fatores levam às doenças cardiovasculares, como mostrou um recente estudo realizado em 52 países, onde foram avaliados especificamente os fatores de risco para o infarto do miocárdio. Este estudo identificou 6 problemas que representam um risco para o desenvolvimento dessa doença:

  1. o tabagismo;
  2. a pressão arterial alta;
  3.  diabetes;
  4. a obesidade abdominal;
  5. o estresse;
  6. e a dislipidemia ou colesterol alto no sangue.

Por outro lado, os fatores protetores para o coração verificados foram o consumo diário de frutas e vegetais e a atividade física regular.

O estudo revelou que se pudermos controlar os fatores de risco e os fatores protetores, a incidência de infarto pode reduzir em 90% entre os homens e 94% entre as mulheres. Desta forma, alterações no estilo de vida como dieta, exercício e perda de peso comprovadamente melhoram os fatores protetores e reduzem os fatores de risco, produzindo um retardo no desenvolvimento da doença das artérias coronárias, que irrigam o coração.

O infarto do miocárdio é consequência do entupimento dessas artérias, comprometidas pelo acúmulo de gordura em suas paredes, que é a chamada aterosclerose. Para prevenção da aterosclerose, que ocorre devido a um aumento de colesterol ou gordura no sangue, além da dieta, alguns indivíduos precisam utilizar medicamentos para baixar o colesterol. Estes medicamentos muito utilizados e eficazes são as estatinas. Dentre elas, as mais recentes têm mostrado serem as mais eficazes entre as estatinas, com um baixo índice de efeitos colaterais e segurança no uso.