Voltar

Obesidade prejudicando o cérebro

A obesidade parecia ser uma exclusividade do povo americano mas, infelizmente, nós brasileiros estamos cada vez mais nos aproximando dessa epidemia importada. No Brasil já temos mais de 3,5 milhões de obesos mórbidos (indivíduos com mais de 150 kg) e as crianças vêm ganhando peso exageradamente.

A presença da obesidade é muito grave, pois duplica o risco do paciente desenvolver o Diabetes tipo 2. As doenças cardiovasculares são outra consequência importante da associação Diabetes e Obesidade. Na Diabetes tipo 2 a insulina diminui, dificultando o metabolismo dos carboidratos e das gorduras no organismo. Além disso, a queda da insulina pode provocar alterações na atividade dos hormônios cerebrais, como a dopamina, facilitando o aparecimento da depressão, Parkinson, déficit de atenção, entre outras consequências.

Os estudos recentes das alterações cerebrais mostram que os obesos sofrem uma diminuição da atividade dos neurônios da camada externa do cérebro, na região frontal, área muito importante relacionada com a tomada de decisão e a percepção. Desta forma, caros leitores, além das graves repercussões no nosso organismo, a obesidade pode levar a transtornos mentais.