Voltar

Obesidade e câncer

A epidemia mundial da obesidade tem se espalhado por vários países, além dos Estados Unidos (1º da lista), e chegou infelizmente ao Brasil. O que chama atenção é que a obesidade só perde para o cigarro como fator de risco evitável para o desenvolvimento do câncer. A obesidade já está intimamente ligada ao aumento das doenças cardiovasculares e agora fica cada vez mais clara a sua participação nos processos que desencadeiam o câncer.

Os dados do Ministério da Saúde mostram que a obesidade na mulher é responsável por quase 30% do câncer do útero e do esôfago, e no homem 25% do câncer de pâncreas e 20% dos casos de câncer de esôfago, além de outros menos prevalentes.

A prática de exercícios físicos, uma alimentação balanceada, e a perda de peso podem reduzir a incidência do câncer de mama em 30%. O que é alarmante sobre a obesidade é o número de pessoas obesas no mundo (mais de 400 milhões) e o pior, 5 milhões de obesos mórbidos (com mais de 150 kg) nos EEUU e 3,5 milhões no Brasil. No ano de 2009 foram realizadas 30 mil cirurgias bariátricas (redução do estômago) no Brasil, mostrando um crescimento do procedimento de 500% nos últimos 10 anos. Não há dúvida de que devemos tentar balancear a nossa alimentação e tentar reduzir o peso, o corpo agradece.