Voltar

Aspirina: tomar ou não tomar?

A discussão é antiga, pois o uso da aspirina tem mais de cem anos e a indicação da medicação já foi muito questionada.

A ação da aspirina tem a finalidade de interromper o ciclo bioquímico da inflamação que leva às dores, febre, etc. As mais importantes pesquisas mostram o seguinte:

- Nas doenças cardiovasculares é eficiente nos pacientes que sofreram doenças do coração (infarto do miocárdio) e que tiveram derrame (AVC).

- Não está recomendada para prevenção das doenças cardíacas, devido aos efeitos colaterais.

- Para o cérebro, foi recomendado o uso da aspirina, pois protege contra o mal de Alzheimer, devido ao efeito anti-inflamatório.

- Para o aparelho digestivo, pode oferecer prevenção contra os efeitos do álcool e drogas e da obesidade no fígado, porém pode levar a úlcera e sangramentos no estômago e intestino.

- A novidade da ação da aspirina está na prevenção contra tumores do aparelho digestivo, pâncreas e próstata, quando utilizada em dose diária por muitos anos.

Desta forma, o uso da aspirina pode ser benéfico, porém utilizá-la requer orientação médica.