Voltar

Hipertensão essencial, a resposta da adrenalina

A hipertensão arterial, também chamada essencial, tem sua definição ainda discutida, pois vários são os mecanismos envolvidos. A atividade do sistema nervoso simpático (dependente da adrenalina) exagerada é um fator reconhecido como importante. Outras ações dos sistemas de controle dos vasos e de hormônios estão envolvidas, além da vasodilatação diminuída.

A pressão alta é duas vezes mais comum em indivíduos que têm um dos pais com a doença. Nas diversas populações, os fatores genéticos são responsáveis por até 30% da variação da pressão arterial.

As causas da hipertensão essencial, também chamada de idiopática ou ainda primária, são diferentes da hipertensão secundária (de causa conhecida). A pressão alta essencial é muito comum e também mais grave na população de raça negra. A relação entre a ingestão de sal e a piora da hipertensão essencial está ficando cada vez mais evidente, embora esta não seja a única causa. Uma outra constatação importante é a relação entre o exagero da ingestão de álcool e o desenvolvimento da pressão alta. A obesidade é também um fator de risco para a hipertensão arterial e piora com o envelhecimento.

Os pacientes mais sensíveis às situações de “stress”, que não lidam bem com a agressividade e a raiva, impacientes e apressados podem apresentar mais comumente a pressão alta.