Voltar

Prevenir é preciso

Os tempos modernos nos trouxeram tudo muito rápido:

-grandes facilidades;

-conforto;

-comidas rápidas e calóricas;

-comunicação rápida e doenças mais rápidas.

Bons tempos quando o infarto do miocárdio, o diabetes e o derrame eram coisas dos idosos. Tudo isto mudou. As doenças da velhice já são as dos jovens; o filme passa cada vez mais depressa.

Desta forma, as avaliações preventivas devem ser precoces, isto é: check-ups desde os 25 anos e, a partir dos 35 anos, exames mais completos (laboratório, Raio X de tórax, teste ergométrico).

A partir dos 40 anos, além da avaliação cardiológica, principalmente para as pessoas com histórico de doenças na família, deverão ser feitos exames anuais com avaliação dos aparelhos digestivo (colonoscopia) e urológico (PSA e toque retal). Após os 50/60 anos, além da manutenção dos check-ups descritos, devemos acrescentar avaliações dermatológicas, oftalmológicas, ortopédicas e nutricionais.

As mulheres devem realizar com frequência papanicolau e colposcopia, e, a partir dos 30 anos, mamografia e ultrassom transvaginal, além dos exames de laboratório; avaliação cardiológica anual com realização de teste ergométrico, ecocardiograma e Raio X de tórax.

Os exames estão cada vez mais sofisticados e a detecção de doenças antes dos sintomas já é possível. Não raciocine como no século passado: “se eu for procurar, vou achar”, pois atualmente achar é quase igual a curar!