Voltar

Entendendo a pressão alta

A pressão alta surge quando as artérias dificultam a passagem do sangue, o coração precisa bombear com mais força, o que leva à hipertensão, resultado de um esforço extra do coração para distribuir sangue por vasos que desenvolveram aumento da resistência à passagem do líquido.

A pressão arterial pode ser dividida em sistólica ou “máxima” (que é quando o coração se contrai para enviar o sangue ao organismo) e diastólica “ou mínima” (quando o coração relaxa para receber o sangue). A hipertensão arterial ou “pressão alta” ocorre quando a pressão arterial sistólica estiver com valores iguais ou maiores que 140mmHg e/ou diastólica estiver igual ou maior que 90mmHg, quando medidas em duas ou mais ocasiões.

A causa da hipertensão arterial é um problema que afeta homens e mulheres. Sabe-se que, além da herança familiar, hábitos de comer muito sal, viver sob estresse, estar com peso acima do ideal, não fazer exercícios e tomar bebidas alcoólicas em excesso também ajudam a pressão a subir. Assim, evitando esses fatores podemos evitar a hipertensão, mesmo quando existir a tendência hereditária.

As complicações que a pressão alta pode causar, na maioria das vezes, não apresentam sintomas, podendo causar danos em órgãos vitais do organismo. No cérebro, a pressão alta é a principal causa do Acidente Vascular Cerebral (“derrame”); no coração, pode causar o infarto e a insuficiência cardíaca; nos rins pode levar à insuficiência renal.

Desta forma, medicação quando necessário, dieta, exercícios físicos e não levar a vida tão a sério podem contribuir para o tratamento da pressão alta.