Voltar

Pressão alta: agressiva e silenciosa

A pressão alta continua sendo um dos grandes problemas de saúde no Brasil e um dos maiores fatores de risco para doenças do coração, do cérebro e dos rins. No Brasil quase 40% da população adulta e mais de 60% dos idosos apresenta pressão alta. O mais importante é que as repercussões da pressão alta podem ser evitadas se o diagnóstico da doença for precoce. Os estudos científicos mundiais vêm mostrando que a hipertensão arterial aumenta cada vez mais, principalmente nos países desenvolvidos.

O conceito de prevenção no caso da pressão alta é fundamental, pois procurar o médico só quando a doença já está instalada dificulta o tratamento, e pode já haver consequências em outros órgãos, além do coração. A aceitação da doença é fundamental, pois muitos indivíduos negam a doença mesmo sabendo que os pais já a tiveram, os irmãos já têm e os sintomas estejam presentes.

A experiência clínica mostra que quanto mais precocemente a pressão alta for tratada e as recomendações médicas forem aceitas, menor será o impacto da doença na capacidade de trabalho e na qualidade de vida.

Caros leitores, procurem o seu cardiologista para avaliações periódicas, evitando as doenças silenciosas e muito agressivas como a pressão alta.