Voltar

Novas drogas, novos problemas

A chamada diabetes tipo 2 surge quando apesar do nosso pâncreas produzir a insulina as células musculares e as de gordura ficam incapazes de absorver a glicose (açúcar). Esta situação, em que as células não conseguem retirar o açúcar do sangue, é chamada de resistência à insulina. A diabetes tipo 2 traz problemas conhecidos e em vários órgãos como o coração, rins, vasos, visão, entre outros.

Há uma relação direta da obesidade, do sedentarismo, do envelhecimento e hábitos inadequados. As drogas utilizadas para o tratamento do diabetes são muito eficientes, auxiliadas pelas medidas dietéticas e o exercício. As chamadas glitazonas vinham sendo bastante usadas no tratamento do diabetes, pois potencializam a ação da insulina, quebrando a resistência ao hormônio. Neste ano houve um alerta da FDA, agência de regulação de medicamentos nos EUA, que recomendava a retirada da rosiglitazona do mercado, pois estaria aumentando o risco de doenças do coração. As discussões sobre estes efeitos estão sendo realizadas e teremos mais informações durante este ano.

De qualquer forma devemos lembrar que cuidar do diabetes é cuidar de todo o organismo.