Voltar

Novo tratamento para doença antiga: gota

O aumento do ácido úrico no sangue leva ao depósito de cristais de urato de sódio nas articulações, com inflamação e dor no local. Esta é artrite inflamatória mais comum nos homens com mais de 40 anos, chamada de gota úrica, sendo conhecida desde a antiguidade.

As observações clínicas nos últimos anos mostram relação desta reação inflamatória com o desencadear das doenças cardiovasculares. A inflamação pode facilitar o depósito de gorduras nas artérias, levando à sua obstrução, favorecendo o infarto do miocárdio.

A alimentação, embora não sendo a causa mais importante, favorece também a elevação do ácido úrico no sangue. O ácido úrico é produzido pelo metabolismo das purinas, cuja presença está nas bebidas alcoólicas (principalmente na cerveja), nos moluscos e crustáceos (camarão, lula, lagosta, etc) e nas carnes (principalmente as jovens, como vitela, e nos miúdos). Os sintomas da gota são dor, vermelhidão, calor, inchaço e dificuldade na movimentação das articulações.

O tratamento é importante, pois a presença dos cristais nas articulações pode levar a deformidades e lesões. A boa novidade é que neste último ano a agência reguladora de medicamentos norte-americana (FDA) aprovou, depois de 40 anos, uma nova droga para tratamento da gota. O medicamento com princípio ativo Febuxestat foi aprovado para o controle do ácido úrico no sangue, mas não tem previsão para sua aplicação no Brasil.

Desta forma, em breve teremos uma nova medicação para o tratamento da gota úrica, que é um novo fator de risco para as doenças do coração.