Voltar

Acidente vascular cerebral: como evitá-lo

Uma das doenças mais agressivas no mundo todo é o acidente vascular cerebral (AVC ou derrame cerebral). O derrame tem um início súbito consequente a uma deficiência de uma determinada parte do cérebro que perdeu total ou parcialmente sua irrigação sanguínea. As alterações irão depender da parte do cérebro afetada e os sintomas mais comuns são:

  • fraqueza dos braços e pernas de um lado do corpo;

  • perda da visão;

  • alterações na fala.

Os fatores de risco para o derrame são:

  • a pressão arterial alta;
  • alterações do ritmo do coração ou arritmias cardíacas;
  • o tabagismo;
  • o uso excessivo de álcool;
  • o diabete;
  • a obesidade;
  • a dislipidemia ou colesterol alto no sangue.

Deve-se controlar todos esses fatores de risco para reduzir a chance de se ter um derrame. Desta forma, deve-se controlar a pressão arterial e os níveis de glicose no sangue, parar de fumar, reduzir o peso e manter normal o nível de colesterol ou gordura no sangue.

As carótidas são importantes artérias que se localizam no pescoço e são responsáveis por levar o sangue ao cérebro. Na maior parte dos casos, o AVC pode ser causado pela aterosclerose ou depósito de gordura nas paredes dessas artérias. Nesta situação, além de vários outros medicamentos, deve-se utilizar medicaçãopara reduzir a taxa de colesterol no sangue, como as estatinas.

Um estudo em pacientes portadores de aterosclerose nas carótidas demonstrou que uma nova estatina, a rosuvastatina, foi capaz de influenciar o crescimento da placa de gordura nessa artéria. Esse estudo demonstrou que além de reduzir de forma muito eficaz o LDL (colesterol ruim), também reduziu a progressão da placa de gordura.

Procure o seu cardiologista para uma orientação especializada.