Voltar

Novidades para o tratamento da insônia

Acredita-se que ao redor de 40% da população mundial sofra de insônia, porém pequena parte deste grupo pode ser tratada com medicação. As drogas já conhecidas há mais de 50 anos são os benzodiazepínicos (Lexotan, Dormonid, Diempax, Lorax, etc.), muito úteis mas com efeitos colaterais indesejáveis como ressaca, lentidão mental e sonolência.

As novas drogas são os não-benzodiazepínicos e tratam a insônia de uma forma mais adequada. A região do cérebro onde estas novas drogas atuam não é a novidade pois a ação é nos receptores GABA-A, porém agem numa região mais específica.

As antigas drogas tinham uma ação mais ampla, levando aos efeitos colaterais descritos. Estas novas medicações são indutoras específicas do sono e não são ansiolíticos (medicação para tirar a ansiedade), têm ação mais rápida e assim proporcionam um sono quase que normal e duradouro.

Devemos lembrar que não é só a medicação que leva ao sono adequado, assim algumas recomendações colaboram bastante: evitar bebidas estimulantes à noite, não fazer exercícios próximos à hora de dormir, preparar o quarto com pouca luz e boa temperatura, não exagerar na alimentação antes de dormir.

As novidades para tratar a insônia estão chegando, e assim poderemos dormir bem evitando o envelhecimento, a obesidade e a pressão alta.