Voltar

Hepatites, o que devemos conhecer

Há mais de 40 anos a hepatite B foi descrita. Outros tipos surgiram, mas muitas questões não respondidas ainda persistem. A vacina da doença não é conseguida facilmente. Na hepatite C, descoberta há mais de 15 anos, também não há certeza de cura e não existe vacina para prevenção.

As duas hepatites B e C inflamam o fígado por um processo viral, mas elas são totalmente diferentes:

  • os vírus;

  • a contaminação;

  • o prognóstico;

  • a progressão também são diferentes.

  A hepatite B é muito similar à Aids na forma de transmissão, no tratamento, e o seu acompanhamento é realizado por infectologistas. A hepatite C é acompanhada pelo gastroenterologista especialista em fígado e também pelos infectologistas já especializados nas doenças deste gênero.

As medicações estão sendo desenvolvidas e a cada ano temos novidades, sendo o tratamento cada vez mais eficiente e com possibilidade de cura. O importante é a prevenção, pois a hepatite B tem contágio sexual, assim todo cuidado é pouco!

A realização de exames laboratoriais para diagnóstico da doença e a procura de especialistas para tratamento adequado são atitudes inteligentes e capazes de prevenir a evolução da doença e suas consequências.