Voltar

A obesidade dificultando e abreviando a nossa vida

O valor do peso corporal dividido pela altura ao quadrado define o chamado índice de massa corpórea (IMC). O valor normal desta relação é ao redor de 25, sendo valores entre 25 e 30 considerados como sobrepeso, acima de 30, obesidade, e acima de 40, obesidade mórbida.

Utilizando estes parâmetros, um grupo de pesquisadores ingleses publicou na revista “The Lancet” um estudo com 900 mil pessoas com idade média de 46 anos mostrando a agressividade da obesidade na qualidade e duração da vida. O trabalho mostrou que o IMC entre 30 e 35 (obesidade leve) diminui a vida em quatro anos e IMC entre 40 e 45 (obesidade mórbida ou grave) diminui de 8 a 10 anos. No Brasil já temos 13% de obesos, mais de 20 milhões de pessoas. Os riscos à saúde são enormes, pois piora a qualidade de vida no dia a dia com: sono inadequado pela apneia do sono, pressão alta, diabetes e dificuldades respiratórias.

Os eventos graves são mais comuns nos obesos, como derrame cerebral (AVC), doenças das artérias coronárias (infarto do miocárdio), arritmias cardíacas e a presença do câncer. A presença da obesidade também dificulta o exame clínico e diminui a precisão dos exames de diagnósticos, adaptados para pessoas de peso normal.

Desta forma, caros leitores, o controle da alimentação está nas nossas mãos, e a orientação nutricional é uma realidade. A atividade física pode colaborar muito na diminuição do peso e na manutenção da qualidade de vida. Procure um especialista para uma orientação.