Voltar

A agressividade da obesidade

A chamada síndrome metabólica é um conjunto de alterações no organismo que facilitam o aparecimento das doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio. As principais alterações desta síndrome são:

  • a obesidade;

  • aumento de açúcar no sangue;

  • pressão arterial alta;

  • a dislipidemia ou aumento do colesterol (gordura) no sangue.

As alterações no estilo de vida, como:

  • a prática de exercícios físicos regulares;

  • uma dieta saudável com baixo teor de gorduras e calorias;

  • maior quantidade de frutas, vegetais e fibras;

tudo isso consegue reduzir os fatores de risco da síndrome metabólica. O importante é que em algumas situações será necessária a utilização de medicamentos para o tratamento da hipertensão arterial, do diabete (que é o aumento de açúcar no sangue) e da dislipidemia (gordura aumentada no sangue).

A dislipidemia no paciente com síndrome metabólica deve ser tratada com medicamentos conhecidos como estatinas. Essas medicações, além de reduzir os níveis de colesterol no sangue, também reduzem o risco de doenças cardiovasculares como o infarto e o derrame, e por esse motivo são consideradas como a primeira escolha no tratamento do colesterol alto no sangue em pacientes com síndrome metabólica.

Estudos comparativos entre as duas estatinas mais potentes comercializadas atualmente têm demonstrado que a rosuvastatina é a mais eficaz na alteração do colesterol, reduzindo o colesterol ruim (ou LDL) e aumentando o colesterol bom (ou HDL) no sangue. Além disto, estudos também mostraram que quando as estatinas são tomadas todos os dias e em longo prazo, seus benefícios na redução de doenças cardiovasculares são ainda maiores.