Voltar

Coração estressado nas mulheres executivas

Os homens sempre foram os campeões das doenças cardiovasculares, porém o mercado competitivo, os hábitos inadequados e as responsabilidades maiores estão fazendo as mulheres alcançarem os homens.

As mulheres executivas não são saudáveis e cuidadosas como imaginávamos, pois na sua maioria são fumantes, sedentárias e estressadas. As estatísticas nas executivas são contundentes, pois 70% não praticam atividades físicas, quase 50% fumam e não se alimentam adequadamente.

As mulheres são mais sensíveis ao cigarro, ao álcool e ao “stress”, ficando muito mais expostas às doenças cardiovasculares quando estão na menopausa. O importante é que as mulheres executivas façam avaliações periódicas, acompanhem com o cardiologista os fatores de risco como obesidade, pressão alta, tabagismo, sedentarismo e o “stress” exagerado. Os riscos das doenças cardiovasculares neste grupo de mulheres já é maior que nos homens e após a menopausa aumenta ainda mais.

As conquistas das mulheres no mercado de trabalho foram muito significantes, porém, como tudo na vida, têm um custo, que infelizmente neste grupo é muito caro. O diagnóstico das doenças do coração nas mulheres não é tão evidente como nos homens.

O ideal é procurar avaliações cardiológicas como os homens, com laboratório, teste ergométrico, ecocardiograma e identificação dos níveis de “stress”. Amigas, bem-vindas ao mundo da prevenção das doenças cardiovasculares.