Voltar

Insegurança, dificuldades financeiras. Como manter a calma?

Não há dúvida de que a genética determina em grande parte até que ponto seremos neuróticos, porém podemos desenvolver algum controle sobre esse estado mental de intranquilidade permanente.

A capacidade de administrar as neuroses, um verdadeiro controle emocional dos conflitos, pode conseguir que pessoas muito tensas sintam-se e aparentem ser mais calmas. A genética também determina se as pessoas vão reagir com muita ou pouca ansiedade às situações e às ameaças da vida. O que os estudiosos observam é que há uma grande adaptação do cérebro, podendo gerar nele transformações inesperadas.

A presença da calma não é igual para duas pessoas diferentes, pois às vezes a calma pode ser ou não importante e até sugerir desinteresse. As variações da personalidade apresentam um componente genético de quase 50%, pois o restante é determinado pela influência do meio ambiente. Desta forma, entendemos por que pessoas com o mesmo grau de ansiedade podem reagir muito diferentemente na presença de uma situação agressiva.

A íntima relação entre a calma e a frieza, a emoção e o descontrole, pode trazer interpretações distintas de fatos importantes das nossas vidas. Os líderes têm que ser equilibrados, fortes nas decisões, mas sempre humanos, nem frios nem só emocionais, Para nós mortais, resta o gerenciamento das nossas neuroses, buscando o equilíbrio do corpo e da mente.

A resposta está nas nossas mãos, ou melhor, no nosso cérebro!